Cosméticos X Dermocosméticos

Embora tenham nomes semelhantes, os cosméticos e dermocosméticos apresentam efeitos distintos. O primeiro atua apenas superficialmente,  proporcionando a beleza da pele. O segundo  atinge as camadas mais profundas da derme, atuando na origem do problema.

Conhecer essas diferenças é fundamental para que você possa obter um  produto que atenda às suas necessidades. Fiz este post para te mostrar as características específicas de cada um deles.

COSMÉTICOS

Do corretivo para disfarçar as olheiras ao creme para hidratar as mãos, os cosméticos tem ação instantânea. São utilizados para promover a saúde e a beleza da pele. Porém, alteram a sua aparência momentaneamente. São exemplos de cosméticos: xampus, sabonetes, desodorantes, maquiagem, perfume etc. Agem apenas nas primeiras camadas da pele, com o objetivo de perfumar, hidratar, limpar e proteger.

Os componentes presentes em sua formulação são de uso livre. Periodicamente são realizados testes para assegurar a produção adequada desses produtos. No entanto, não precisam de comprovação cientifica. Sendo assim, têm maiores chances de levarem ao aparecimento de efeitos colaterais, como coceira e vermelhidão.
Já os dermocosméticos , sendo úteis para diversos tratamentos dermatológicos (diminuição de manchas, cicatrizes, sinais de envelhecimento, entre outros). Eles agem diretamente na causa do problema e precisam ter eficácia científica comprovada.

DERMOCOSMÉTICOS

Os dermocosméticos tem um efeito menor que o de um medicamento, mas agem mais profundamente na pele que um cosmético. Isto porque, trazem em sua composição ativos farmacológicos. De acordo com a substância ativa presente em sua fórmula, provocam alterações fisiológicas, tratando, reduzindo ou eliminando o problema a longo prazo.

Possuem um baixo risco de causar alergias e irritações, pois normalmente não trazem corantes, perfumes ou conservantes em sua formulação. Também são hipoalergênicos, não entopem os poros, são testados em peles sensíveis, e na maioria das vezes, são produzidos com água termal.

Diversos estudos clínicos, testes e pesquisas científicas, são realizados para comprovar a eficácia destes produtos. Geralmente são utilizados em tratamentos dermatológicos, pois conseguem penetrar nas camadas mais profundas da pele, auxiliando na diminuição de manchas, cicatrizes, rugas, entre outros.

Dermocosméticos são regulamentados pela ANVISA e considerados como cosméticos de nível 2. Não necessitam de receita médica para serem comprados, mas é muito importante que você seja orientado por um profissional na hora de escolher o produto. Por esta razão, na maioria das vezes são indicados por um dermatologista. Existem várias linhas de tratamento: anti-idade, proteção solar, hidratação e até maquiagem.

Se esta publicação foi útil para você, deixe o seu comentário. Ah! E não se esqueça de procurar um dermatologista para saber qual produto é mais indicado para o seu tipo de pele.

VOCÊ PREGA OU SÓ FAZ BARULHO?

Quando eu era criança, costumava ouvir as minhas músicas religiosas favoritas praticamente todos os dias. O problema é que em alguns momentos eu não queria escutar a minha playlist sozinha. Sentia a necessidade de compartilhar, mas não fazia isso de uma maneira tão agradável. Naquela época, eu não tinha o costume de falar sobre religião ou sobre a bíblia com os meus vizinhos. Na verdade eu mal conseguia iniciar um diálogo com eles. Então pensava que poderia “evangelizar” a vizinhança através da música. Afinal de contas, eu não tinha coragem de pregar e talvez alguém até se recusasse a me ouvir, mas com certeza ninguém iria bater na minha porta pedindo que eu desligasse o aparelho de som.

Desta maneira, imaginava que a mensagem musical poderia ajudar alguém que estivesse enfrentando um momento difícil. Talvez, a longo prazo, os meus vizinhos poderiam até aceitar a Jesus e serem convertidos. Sendo assim, eu aumentava o volume máximo do aparelho de som, um Gradiente Energy 1200, que me serviu muito bem até o início da adolescência. Sempre tinha o cuidado de me certificar para que o som alcançasse até a última casa, no fim da rua. Juro que não fazia por mal, pelo contrário! Eu tinha a mais boa das intenções. Porém em nenhum momento parei para pensar que o som alto demais poderia ser um grande ruído, incomodando e tirando a atenção da mensagem que eu gostaria de transmitir.

Por alguns anos, acho que só consegui incomodar os meus vizinhos, gosto de acreditar que a palavra de Deus não volta vazia, mas sem dúvidas este não era o melhor método de evangelismo. Sabe, por vezes tenho visto pessoas falando de Jesus da forma errada. A bíblia nos diz: “ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16:15), mas precisamos estar atentos e tomar cuidado para que o nosso método não afaste as pessoas ao invés de atraí-las a Cristo.
Talvez, se você parar para enxergar qual é a necessidade das pessoas e o que você pode fazer para ajudá-las, encontrará uma oportunidade para demostrar o amor de Jesus. Então seus atos serão o seu maior testemunho. Ás vezes, achamos que estamos pregando, quando na verdade estamos só fazendo barulho.